Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Tratamento homeopático de hematoma em Amazona aestiva (Linnaeus, 1758): relato de caso

AUTORES

Cláudio Yudi Kanayama (Universidade de Uberaba, Instituto de Estudos Avançados em Veterinária “José Caetano Borges”, (UNIUBE/FUNDRAGRI-FAZU/ABC)

Francynny Helena Fonseca Eulálio (Universidade de Uberaba, Instituto de Estudos Avançados em Veterinária “José Caetano Borges”, (UNIUBE/FUNDRAGRI-FAZU/ABC)


RESUMO INTRODUÇÃO

O crescimento da criação de aves silvestres como animais de estimação vem, paulatinamente, ampliando a relevância da medicina aviária no contexto acadêmico e profissional da medicina veterinária. Cada vez mais as propriedades terapêuticas dos medicamentos e princípios homeopáticos ganham mais espaço na medicina veterinária. Entretanto, há carência de profissionais com formação para clínica aviária e homeopatia. Esforços para estudar e aprofundar na terapêutica homeopáticas fomentam e estimulam novos profissionais a buscarem alternativas consistentes nas suas bases científicas. Qualquer contribuição agrega e proporciona melhores horizontes na clínica aviária e, em particular, na homeopatia. (1,2). Frequentemente, o atendimento ambulatorial de emergência é a primeira consulta de ave uma silvestre mantida em cativeiro (1). Um histórico completo, acompanhado de uma minuciosa anamnese, pode ser fundamental para o estabelecimento do diagnóstico e da terapêutica mais adequada. Os psittacidae são algumas das aves silvestres mais comuns mantidas como animal de estimação. Acidentes com esta classe aves são frequentes. O presente trabalho tem como objetivo descrever o tratamento homeopático de um psitacídeo com hematoma.


MATERIAL / MÉTODO

Foi atendido no Hospital Veterinário de Uberaba (HVU), um exemplar da espécie Amazona aestiva, de nome popular Papagaio-Verdadeiro, 15 anos de idade, sem sexo definido, 550 gramas. A ave alimenta-se de sementes com predominância de girassol, ração comercial para papagaios, frutas e alimento caseiro. A ave habita ambiente doméstico (apartamento), em período permanente dentro de uma gaiola específica para papagaios. No histórico, os proprietários relataram a presença de um aumento de volume na região cervical nas últimas 48 horas. No exame clínico da ave, havia uma tumefação arredondada, na região cervical esquerda, consistência firme, dolorosa ao toque, quente ao toque, em que a pele que o recobria apresentava levemente ruborizada e medindo 30 mm de comprimento e 25 mm de largura (Figura 1). Por aspiração de agulha fina foi coletado líquido do interior da tumefação, de coloração vermelho-escuro, num volume total de 30 ml, que, ao exame laboratorial, se tratava de sangue (Figura 2). O tratamento homeopático foi administrado o complexo Bellis perennis 6CH, Hamamelis viriginiana 6CH e Rhus toxicodendron 12CH, utilizando glóbulos como insumo inerte que, por meio do método plus, a cada cinco glóbulos em 100 ml de água filtrada, institui-se o tratamento por via oral, com gotejamento na parte inferior do bico, na dosagem de três gotas, seis vezes ao dia, durante sete dias consecutivos. No primeiro retorno, após sete dias de tratamento, não havia mais a tumefação original e a pele apresentava com espessura normal. (Figura 3). O tratamento foi suspenso quando completou 15 dias.


RESULTADO

Emergências hemorrágicas em aves são frequentes. Destacam-se as lesões em bico, fratura de penas, laceração de patas, tumores, cistos e hematomas. Gaiolas, poleiros e brinquedos inadequados, além de contenção física sem experiência prévia podem ser fatores desencadeantes para hematomas (1,2). A conduta terapêutica para hematomas com formação de tumefação de sangue é cirúrgica ou conservadora. Diversos procedimentos clínicos e cirúrgicos têm sido adotados no tratamento do otohematoma em cães, contudo os resultados não são, às vezes, satisfatórios, acarretando um maior tempo de recuperação, dificuldades no procedimento cirúrgico (3). A ave tratada homeopaticamente ficou curada, sem nenhuma cicatriz na região e sem recidiva até então. A escolha dos medicamentos foi feita de acordo com a semelhança entre os sinais e sintomas do paciente e os relatados em outro estudo (4). A prescrição do medicamento homeopático Hamamelis varginiana foi devido as suas características em atuar em hemorragias de origem venosa, sobretudo pós-traumática, assim como Bellis perenis possui ação em locais onde há aumento de volume com acúmulo de sangue provocado por ação mecânica traumática. O medicamento Rhus toxicodendron tem ação em hemorragias onde o local da lesão apresenta quente e doloroso (5). O uso de medicamento homeopático tem sido utilizado como ferramenta terapêutica capaz de proporcionar melhora significativa nos quadros de hematomas a baixo custo e sem necessidade de procedimento invasivo. Os mesmos medicamentos utilizados no tratamento homeopático da ave, também foram utilizados com sucesso para tratamento de um otohematoma num cão da raça labrador, cuja regressão total foi de 25 dias, ao contrário do tratamento da ave, que num período de sete dias já havia recuperado (4). Outros autores utilizaram em um cão da raça Cocker, com otohematoma, os medicamentos Hamamelis varginiana 3DH, Arnica montana 3DH, Silicea 3DH e pomada de Arnica Montana 10%, obtendo também sucesso na recuperação após 21 dias (6). Por ser tratar de uma ave, o tratamento tópico não é recomendado, devido à impregnação das penas com a pomada e possível ingestão acidental do medicamento. A terapêutica homeopática proposta foi eficiente no tratamento do hematoma, sem a necessidade de procedimentos invasivos, baixo custo, fácil administração do medicamento e com excelente processo cicatricial.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1- Gonçalves GAM. Manual de emergência em aves. 1ª ed. São Paulo: MedVet.; 2010
2- Harrison G, Lightfoot T, Flinchum GB. Emergency and critical care. In: Harrison GJ, Lightfoot T. Clinical avian medicine. Palm Beach, FL: Spix Pub; 2006. p. 224-244.
3- Schossler, JR, Müller D, Pinheiro M. Proposição de técnica para drenagem de otohematoma em cães. Arquivos de Ciências Veterinárias e Zoologia da UNIPAR. 2007 10(2): 117-119.
4- Kanayama CY, Nader TT. Tratamento homeopático de otohematoma em cão: relato de caso [CD-ROM]. In: Latin American Veterinary Conference; 2013 Abr 21-24; Lima. Anais. 2013.
5- Lathoud, JA. Estudos de matéria médica homeopática. 3ª ed. São Paulo: Organon; 2010.
6- Ramos CSCB, Costa RBFC. Tratamento de hematoma auricular com medicamentos homeopáticos: relato de caso. Revista Universidade Rural. Série Ciências da Vida. 2005;25 Suppl 1:405-406.

Palavras-chave: aves silvestres, emergência, homeopatia, psitacíde