Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

AVALIAÇÃO FÍSICA E QUÍMICA DE FILÉS DE TILÁPIA DO NILO TRATADAS COM HOMEOPATILA 100®

AUTORES

Denise Pastore de Lima (Departamento Acadêmico de Alimentos – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Câmpus Medianeira. Programa de Pós-Gr)

Denise Pastore de Lima (Departamento Acadêmico de Alimentos – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Câmpus Medianeira. Programa de Pós-Gr)

Mariana Manfroi Fuzinatto (Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Maringá. mariana.fuzinatto@gmail.com)

Ana Paula Andretto (Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Maringá. aninhaandretto@hotmail.com)

Ricardo Pereira Ribeiro (Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá. rpribeiro@uem.br)

Lauro Vargas (Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá. lvargas@uem.br)


RESUMO INTRODUÇÃO

A homeopatia população é o ideal para rebanhos devido ao seu baixo custo, eficiência e ausência de toxicidade. O uso de ingredientes ativos extremamente diluídas garantem nenhum resíduo na carne e contaminação na água e no solo. Animais alimentados com produto homeopático tem melhor potencial de produção, melhor qualidade e maior sobrevida (1).
Homeopatila 100® é um complexo homeopático composto por Iodum (12 CH), Sulphur (30 CH), Natrum muriaticum (200 CH), Streptococinum (30 CH) e veículo de álcool etílico 30º GL (q.s.p.), que foi projetado para diminuir o estrese na produção e garantir o bem-estar da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) no ciclo produtivo dos alevinos comerciais.
Este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade física e química de filé de tilápia do Nilo tratadas com Homeopatila 100®.


MATERIAL / MÉTODO

Foram utilizadas tilápias com peso médio de 300 g, criadas em caixas de fibras e alimentadas com ração comercial. Foram avaliados dois tratamentos, um controle com solução hidroalcóolica 30o GL (adição de 40 mL.kg-1 de ração) e outro com o produto homeopático Homeopatila 100® (adição de 40 mL.kg-1 de ração). Aos 84 dias, os peixes foram capturados, insensibilizados, eutanasiados, eviscerados e filetados. A utilização dos animais foi aprovada pelo Comitê de Conduta Ética no Uso de Animais em Experimentação da Universidade Estadual de Maringá, sob o Protocolo Nº 019/2013.
Foram avaliados os teores de umidade, cinzas, lipídeos e proteína bruta, determinados de acordo com procedimento descrito pela Association Official Analytical Chemists (2).
As medidas de pH foram realizadas utilizando potenciômetro modelo pH 21 (Hanna®), homogeneizou-se 10 g de amostra com 40 mL de água destilada.
Para a medida da cor foi utilizado o colorímetro da Marca Minolta®, Modelo CR 400, com iluminante D65 e ângulo de visão de 10˚. As medidas de cor foram realizadas em três diferentes pontos superficiais do filé. Os valores de L* (luminosidade), a* (componente vermelho-verde) e b* (componente amarelo-azul) foram expressos conforme o sistema de cor da Commission Internationale de L’Eclairage (CIELAB).
A atividade de água (Aw) foi avaliada a 25oC em determinador de atividade de água (4TE, Aqualab).
Para verificar a força de cisalhamento, o filé foi cortado em pedaços de 1,5 cm de altura x 1,0 cm de largura x 2 cm de comprimento. As análises foram realizadas com o texturômetro TA.HD plus, Stable Micro Systems equipado com lâmina Warner-Bratzler Blade e célula de carga de 5 kg, operando a uma velocidade de 5,0 mm/s e distância de 20 mm, com resolução de 0,001 mm.
As medidas físicas e químicas foram avaliadas por ANOVA e foram submetidas à análise de variância a 5% de probabilidade e o Teste t de Student, através do programa Statistical Analysis System (SAS) versão 9.0.


RESULTADO

Os valores médios da composição centesimal dos filés, pH, L* e a* do controle e dos tratados com Homeopatila 100® não apresentaram diferenças significativas. A Aw e a força de cisalhamento foram significativamente maiores (p<0,05) para o controle (Tabela 1).
Os valores da força de cisalhamento (Tabela 1) foram similares aos identificados em dourada (Sparus aurata), onde os valores variaram entre 5,0 ± 2,1 e 5,7 ± 1,8 N para filés crus (3).
As características de qualidade na aparência da carne são afetadas pelo estresse do peixe (4). Foi demonstrado que altos níveis de atividade muscular resultaram em diferenças significativas maiores em L* e b* e menores em a* na cor do músculo de trutas arco-íris (Oncorhynchus mykiss) na eutanásia e esta mudança pode ser causada por alterações na estrutura do tecido muscular (5). O resultado de b* na cor do filé de tilápia do Nilo tratadas na dieta com 40 mg.L-1 de Homeopatila 100® apresentam melhores características de qualidade e indicam que o produto homeopático produziu efeito na redução do estresse das tilápias do Nilo, diminuindo a desnaturação proteica e a liberação da mioglobina no músculo da carne.
Os resultados de umidade, cinzas, proteínas e lipídeos nos filés (Tabela 1) foram próximos aos encontrados em pesquisa realizada com filés de tilápia do Nilo (6). A utilização de 40 mL de Homeopatila 100® por kg de ração não alterou as características da composição centesimal do filé.
Os valores de pH no filé dos diferentes tratamentos atendem ao estabelecido na legislação e os valores de Aw para ambos os tratamentos estavam de acordo com a classificação para pescado.
O valor de b*, o menor valor da força de cisalhamento e a menor atividade de água no músculo para os filés de tilápia tratadas com Homeopatila 100® provou ser de peixes menos estressado.

4. CONCLUSÕES

Os resultados indicam que o uso de Homeopatila 100® na dieta da tilápia do Nilo não alterou a qualidade física e química do filé.

5. AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem a Universidade Estadual de Maringá, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná e a Empresa REAL H pelo apoio nesta pesquisa.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

(1)ANDRETTO AP, FUZINATTO MM, BONAFE EG, BRACCINI GL, MORI RH, PEREIRA RR, et al. (2014). Assessment of the oxidative state, related parameters and quality of muscle tissue in Nile tilapia with the application of homeopathic product Homeopatila 100® in high-densith cages. Journal Homeopathy. 9(9):279-286.

(2)AOAC (2006). Association Methods of Analysis of AOAC International, Volume I and II, 18th Edition, Rev. 1.

(3)MATOS E, GONÇALVES A, NUNES ML, DINIS MT, DIAS J. Effect of harvesting stress and slaughter conditions on selected flesh quality criteria of gilthead seabream (Sparus aurata) Aquaculture 2010. 305(1-4):66–72.

(4)STIEN LH, HIRMAS E, BJØRNEVIK M, KARLSEN Ø, NORTVEDT R, RØRÅ AMB et al. The effects of stress and storage temperature on the colour and texture of pre-rigor filleted farmed cod (Gadus morhua L.) Aquaculture Research 2005. 36(12):1197–206.

(5)ROBB DHF, KESTIN SC, WARRISS PD. Muscle activity at slaughter: I. Changes in flesh colour and gaping in rainbow trout. Aquaculture 2000. 182(3):261–69.

(6)LEONHARDT JH, CAETANO FILHO M, FROSSARD H, MORENO AM. Características morfométricas, rendimento e composição do filé de tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, da linhagem tailandesa, local e do cruzamento de ambas. Semina: Ciências Agrárias 2006. 27(1):125-32.

Palavras-chave: Oreochromis niloticus, homeopatia, aquicultura.