Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Casuística do projeto de extensão "Ambulatório de homeopatia veterinária" da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2012 a 2015

AUTORES

Karine Bonucielli Brum (UFMS)

Karine Bonucielli Brum (UFMS)

Marina Luiza Franco (UFMS)

Artur Maggioni e Silva (UFMS)

Mônica Filomena Assis de Souza (SIGO Procedimentos Homeopáticos)

Veronica Jorge Babo-Terra (UFMS)

Mariana Isa Poci Palumbo (UFMS)


RESUMO INTRODUÇÃO

O projeto de extensão “Ambulatório de Homeopatia Veterinária” realizado no ambulatório da FAMEZ/UFMS atende, gratuitamente, cães e gatos de tutores interessados no tratamento homeopático. Os atendimentos iniciaram em março de 2012, sendo interrompidos em 2013, voltou a funcionar em abril de 2014 e continua em atividade. Contou com a participação de duas médicas veterinárias homeopatas, duas médicas veterinárias que atuam na clínica de pequenos animais e dois acadêmicos do curso de medicina veterinária. Os objetivos do presente trabalho foram: verificar o número de cães e gatos atendidos; averiguar as principais queixas ou motivos pelos quais os tutores levaram seus animais para o tratamento homeopático; agrupar os diagnósticos clínicos nos diferentes sistemas orgânicos e determinar os medicamentos mais prescritos.


MATERIAL / MÉTODO

Os atendimentos foram realizados uma a duas vezes por semana, no período matutino ou vespertino, previamente agendados. Os atendimentos foram registrados em fichas individuais, contendo dados de identificação dos animais, dos tutores e a história clínica. Após a anamnese foi realizado exame clínico e solicitados exames complementares, quando necessário. Logo após, realizou-se repertorização homeopática, estudo do caso, prescrição do remédio e orientações adicionais. Os retornos eram realizados a cada 30 dias, inicialmente, e depois, conforme a necessidade de cada caso. A repertorização era feita por meio do software “Repertório de Homeopatia Digital”. O período de avaliação compreendeu de março de 2012 até junho de 2015.


RESULTADO

No total foram atendidos 61 animais nesse período, sendo 24 no ano de 2012 e 37 de abril de 2014 até junho de 2015. Destes, 25 eram machos (40,98%), 36 (59,02%) fêmeas, 44 cães (72,13%) e 17 gatos (27,87%) (Figura 1). Quantidades semelhantes foram observadas por Costa, Menezes (1). Em outros levantamentos observou-se uma predominância de cães (2,3) e machos (4). Isso pode ser devido a maior quantidade de cães ou que recebem maior atenção dos tutores, provavelmente por estarem mais próximos e os gatos serem mais independentes, ou porque os cães adoecem mais que os gatos. Por outro lado, o presente estudo é o que demonstra o maior número de gatos em relação aos citados, o que reflete, talvez, que os tutores estejam prestando mais atenção ou cuidando mais da saúde dos seus gatos em Campo Grande/MS. A procura pelo tratamento homeopático, no período estudado, foi crescendo o que pode ser devido à eficácia do tratamento, facilidade de administração do remédio, baixo custo e ausência de toxicidade (5). Todos os casos se tratavam de doenças crônicas. O sistema orgânico mais afetado foi o nervoso, totalizando 27 casos (44,26%). Desses, quatro estavam associados com queixas de outros sistemas e em 24 (39,34%) a principal queixa, para o atendimento dos animais, foi algum distúrbio comportamental, nos demais convulsão. Demais sistemas são apresentados na Figura 2. Resultados diferentes foram obtidos nos demais levantamentos pesquisados, nos quais as dermatopatias foram prevalentes (1,2,3,4). Talvez possamos justificar uma casuística maior de distúrbios comportamentais devido ao fato que cães e gatos são criados tão próximos aos humanos que acabam absorvendo e sofrendo, de alguma forma, com os problemas das pessoas, o que acaba predispondo ao desenvolvimento de distúrbios comportamentais e físicos (4). No total foram prescritos 42 medicamentos, sendo Arsenicum album (n=19) o mais destacado, seguido por Phosphorus (n=13), Lycopodium (n=9), Pulsatilla (n=8), Nux-vomica (n=6), Calcarea carbonica (n=6), Sulphur (n=5,), Belladonna (n=5), Lachesis (n=5), entre outros. Na maioria das prescrições indicou-se a utilização de um remédio de cada vez, buscando-se o simillimum (6), procedimento preconizado pela equipe de trabalho. Apesar disso, em alguns casos (n=8) foi utilizado algum bioterápico, junto com o remédio de fundo e em dois casos suspeitos de SUF foram utilizados um complexo homeopático. Com relação ao desfecho dos casos, na maioria os resultados foram satisfatórios, corroborando com os observados no estudo feito por Campos et al.(4). Conclusões: A procura pela homeopatia como método terapêutico para animais de companhia cresceu. Assim, mostrou que é uma boa alternativa para o tratamento de doenças do sistema nervoso e tegumentar, que foram as principais queixas apresentadas que levaram às consultas. O medicamento mais prescrito foi o Arsenicum album, abrangendo a maior parte dos sinais clínicos da maioria dos pacientes.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1. Costa RBF, Menezes MJR. Casuística ambulatorial do serviço de homeopatia veterinária do Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman no ano de 2010. In: 5º Congresso Brasileiro de Homeopatia Veterinária, 2011, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: AMVHB, 2011. p. 69-71.
2. Brunelli SRA, Pinto LF, Ribeiro MC. Casuística Ambulatorial do Serviço de Homeopatia Veterinária do Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman. Homeopatia Brasileira. 1998; 4(1):507-13.
3. Delavechia ML, Medeiros IC. Casuística do ambulatório de homeopatia do Hospital Universitário Veterinário Firmino Mársico Filho – HUVET-UFF. In: 5º Congresso Brasileiro de Homeopatia Veterinária, 2011, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: AMVHB, 2011. p.75 – 6.
4. Campos FL, Benin LA, Camargo VMF. Perfil do atendimento em homeopatia da Clínica Escola Veterinária (CEVET) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Paraná, Brasil. Ambiência. 2010; 6(2): 289 – 96.
5. Souza MFA. Homeopatia Veterinária. I Conferência Virtual Global sobre Produção Orgânica de Bovinos de Corte [periódico online] 2002; Via Internet. Universidade do Contestado - Concórdia e EMBRAPA Pantanal. Disponível em:http://www.cpap.embrapa.br/agencia/congressovirtual/pdf/portugues/02pt02.pdf [2015 set. 18].
6. Hahnemann, S. Organon da Arte de Curar. Ribeirão Preto: Museu de Homeopatia Abrahão Brickmann; 2008.

Palavras-chave: distúrbio comportamental, tratamento homeopático,