Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Avaliação do medicamento Ultradiluído MFD 30 CH na prole de mães tratadas com o Metilfenidato (RitalinaR) durante a lactação.

AUTORES

Bruna Oliveira Fernandes (Estudante M. Veterinária Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil)

Larissa Cristina Ares Silveira da Motta (Estudante M. Veterinária Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil)

Amanda Sousa (Estudante M. Veterinária Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil)

Elizabete Freire Roschel (Estudante M. Veterinária Universidade de Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil)

Maria Martha Bernardi (Centro de Pesquisa Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, Bras)

Cidéli de Paula Coelho (Universidade Santo Amaro (UNISA), São Paulo, Brasil ; Centro de Pesquisa Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, Brasi)


RESUMO INTRODUÇÃO

Introdução: O metilfenidato (MFD), comercialmente conhecido por RitalinaR é uma anfetamina não estimulante empregada já há algum tempo no tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade(TDAH) e, em doses adequadas, promove em grande parte dos portadores de TDAH, a remissão de seus sintomas e a melhora de aspectos importantes como a interação social e o desempenho acadêmico1. Dados da literatura indicam que o MFD atenua o comportamento maternal em camundongos2. Seguindo esta linha de estudo foi realizado o trabalho “Repeated methylphenidate administration during lactation reduces maternal behavior, induces maternal tolerance, and increases anxiety-like behavior in pups in adulthood”3 , confirmando que a administração do MFD durante o inicio da lactação prejudica o comportamento materno, e provoca um comportamento tipo ansioso nos filhotes quando na idade adulta. Seria possível o MFD diluído e dinamizado alterar o comportamento destes filhotes ? Evitar portanto um efeito colateral desta substância ? Objetivo: A meta deste estudo foi avaliar o quanto o medicamento ultradiluído pode ou não alterar o comportamento dos animais em questão.


MATERIAL / MÉTODO

Material e Métodos: O medicamento foi feito segundo a Pharmacopéia Homeopática Brasileira na 30 CH. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal da Universidade de Paulista (no. 256/14 CEP / ICS / UNIP). Os animais deste estudo foram os mesmos do Estudo citado acima e já publicado, os camundongos machos adultos foram agrupados em 13 animais do grupo experimental (adultos, filhos de mães que tomaram MFD na gestação) e 9 animais da prole de mães controle, que não tomaram o MFD na gestação. Os 22 animais tomaram o medicamento ultradiluído MDF 30 CH na água de bebida ad libitum, durante 20 dias. Em cada bebedor foi colocado 5 gotas da medicação e agitado. Testes de comportamento como o Campo Aberto e o teste de Transição Claro/Escuro, foram realizados. Os dados foram analisados estatisticamente pelo teste t de Student para comparação de dados paramétricos de dois grupos e o teste de Mann-Whitney para dados não paramétricos. Sendo considerado significante p≤0,05.


RESULTADO

Resultados e Discussão: No Teste de Campo Aberto (CA) os animais antes da medicação MFD 30 CH, do grupo de mães medicadas com o metilfenidato na gestação, apresentavam uma menor locomoção e uma maior Imobilidade (p≤0,05), em comparação com os animais controle, após a medicação com o MFD 30 CH os animais obtiveram um aumento da locomoção e uma diminuição da Imobilidade, levando a nenhuma diferença estatística entre o grupo do medicamento e Controle. No teste de transição Claro/Escuro, os animais do experimento apresentavam um maior tempo do lado escuro, e uma diminuição do Rearing demonstrando um comportamento ansioso, depois da medicação MFD 30 CH, não houve mais a diferença entre os grupos controle e experimental. O uso indiscriminado das anfetaminas tem aumentado nos últimos anos e este uso, quando não monitorado, pode causar efeitos adversos graves4, neste sentido os medicamentos ultradiluídos podem colaborar com a remissão de possíveis efeitos indesejaveis.
Conclusão: O MFD 30 CH alterou o comportamento exibido inicialmente por animais nascidos de mães que tomaram o metilfenidato na lactação e apresentaram um comportamento tipo ansioso, como um efeito inesperado. Os camundongos que tomaram o MFD 30 CH deixaram de apresentar o comportamento tipo ansioso, outros experimentos devem ser realizados para confirmar os resultados do presente estudo.


    REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

    Referências
    1. SOLANTO, M.V. Neuropsychopharmacological mechanisms of stimulant drug action in attention-deficit hyperactivity disorder: a review and integration. Behav Brain Res. 1998;94:127-52. 1998.
    2. LEUSSIS, M.P., BOND, T.L.Y., HAWKEN, C.M., BROWN, R.E. Attenuation of maternal behavior in virgin CD-1 mice by methylphenidate hydrochloride. Physiology and Behavior. 2008;95:395–9. 2008.
    3. PONCHIO, R.A.; TEODOROV, E.; KIRSTEN, T.B.; COELHO, P.C.; OSHIRO, A.; BERNARDI, M.M. Repeated methylphenidate administration during lactation reduces maternal behavior, induces maternal tolerance, and increases anxiety-like behavior in pups in adulthood. Neurotoxicology and Teratology. v. 15, p. 200-207, 2015.
    4. ASSER A, TABA P. Psychostimulants and Movement Disorders. Frontiers in Neurology; 6:75. 2015.

    Palavras-chave: Metilfenidato, Ultradiluição , Campo Aberto