Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Utilização de complexos homeopáticos para o tratamento de diferentes distúrbios em animais de companhia

AUTORES

Mônica Filomena Assis de Souza (Sigo Procedimentos Homeopáticos)

Marina Luiza Franco (UFMS)

Artur Maggioni e Silva (UFMS)

Karine Bonucielli Brum (UFMS)

Marco Antonio Cucco (SIGO Procedimentos Homeopáticos)

Mônica Filomena Assis de Souza (Sigo Procedimentos Homeopáticos)


RESUMO INTRODUÇÃO

A indústria farmacêutica homeopática, humana e animal, produz em larga escala os complexos homeopáticos, associações de medicamentos que englobam grande número de sintomas relacionados a certa doença (1). Este tipo de formulação tem sido cada vez mais utilizado devido a sua ausência de toxidade, fácil administração, melhora rápida e fácil acesso (2). O objetivo do presente trabalho foi relatar alguns casos de sucesso, com o tratamento homeopático por complexos, de distúrbios físicos e mentais em animais de companhia.


MATERIAL / MÉTODO

Caso 1: Canina, fêmea, Dog Alemão, 11 anos de idade, apresenta histórico de artrite desde os três anos de idade. Foi trazida para consulta com queixa de apatia, perda dos movimentos dos membros pélvicos, demorava para se levantar ou passava o dia todo deitada, chorando quando auxiliada a levantar e não conseguia ficar em estação, sendo assim quadro sugestivo de atrite/artrose. Foi prescrito o complexo homeopático ArtroSigo®1 (Plumbum metallicum 12 CH e Rhus toxicondendum 12CH). Após dois dias de tratamento houve melhora na sintomatologia. Após uma semana o animal conseguia se levantar e caminhar com menos dificuldade e sem gemidos (Figura 1). Caso 2: Canina, fêmea, Pinscher, apresentou quadro de hemometra após aplicação de hormônio para supressão do cio. Devido a isso foi realizada a histerectomia. Após a cirurgia desenvolveu peritonite e septicemia. Foi instituída antibioticoterapia, mas não respondeu satisfatoriamente ao tratamento, apresentado apatia, hipotermia e desidratação. Além disso, apresentava alopecia multifocal há dois anos, que não melhorou com nenhum tratamento alopático. Diante da gravidade do quadro atual a queixa dermatológica não foi considerada para a escolha do medicamento homeopático. Foi prescrito o complexo homeopático InfectoSigo®2 (Hepar sulphur 12CH e Mercurius solubilis 12CH). Com o uso da homeopatia a septicemia foi debelada, a temperatura corporal se normalizou, houve ganho de peso e como resultado adicional, a alopecia foi sanada (Figura 2). Caso 3: Canino, macho, SRD, quatro anos de idade, foi encaminhado ao atendimento homeopático com quadro sugestivo de Erlichiose. Foram realizados exames laboratoriais constatando alterações dos parâmetros hematológicos (anemia, trombocitopenia e hiperproteinemia) e bioquímicos de função renal (aumento da creatinina), sugerindo também nefropatia. Foi prescrito o complexo homeopático HemoSigo®3 ( Ferrum metalicum 12CH, Belladonna 12CH e Phosphorus 12CH). Após 28 dias foram realizados novamente os


RESULTADO

exames e o animal apresentou melhora nos parâmetros hematológicos e bioquímicos, acompanhado de recuperação clínica. Caso 4: Canina, fêmea, Dachshund, 10 anos, foi trazida à consulta homeopática devido a dermatose crônica, com acantose, há dois anos. Segundo o tutor foram feitos todos os protocolos alopáticos, mas não obteve sucesso. Foi prescrito o complexo homeopático SkinSigo®4 (Sulphur 12CH e Arsenicum album 12CH). Após sete dias foi observada grande melhora no quadro dermatológico e segundo relato do tutor houve mudança na disposição da cadela “Há meses andava dormindo e com preguiça”, o que foi creditado à sua idade avançada. Ressaltou ainda que depois do tratamento homeopático “Está mais alegre e voltou a brincar com a bolinha, o que não fazia há anos. Agora voltou a ser uma criança!” (Figura 3). Caso 5: Canina, fêmea, SRD, adulta, encontrada na rua, foi levado ao consultório com sinais neurológicos característicos de cinomose (mioclonia, espasmos e ataxia), pneumonia, secreção ocular purulenta e espessamento da pele do focinho e coxim plantar. Foi utilizado o complexo homeopático TraumaSigo®5 (Arnica Montana 12CH e Hypericum perforatum 12CH). No terceiro dia de tratamento o animal já ficava em estação, se locomovia com certa dificuldade e ataxia, apresentando, ainda, espasmos e mioclonia. No sétimo dia de tratamento o animal já se mostrava mais feliz e disposto, andava e corria com facilidade e abanava a cauda, apesar de apresentar espasmos e mioclonia com menor intensidade. Caso 6: Felina, SRD, filhote, foi levado para a clínica para avaliação e tratamento, pois foi encontrado na rua. O animal apresentava-se apático, muito agressivo, inapetente e com baixo peso. Utilizou-se o medicamento CalmSigo®6 (Chamomilla 30CH, Aconitum napellus 60CH, Rhus toxicodendrum 30CH) e após três horas o animal estava mais calmo, se deixou acariciar e colocar o acesso para a fluidoterapia (Figura 4). Os medicamentos utilizados nas fórmulas homeopáticas foram compilados com base nas matérias médicas homeopáticas para cada quadro clínico a que o produto se destinava (3,4,5). A homeopatia está cada vez mais presente no meio veterinário e os complexos homeopáticos tem um papel importante nesse avanço. Por meio destes é que a maioria da população tem um primeiro contato com a homeopatia, sendo essas experiências, frequentemente, positivas (6). A homeopatia se destaca principalmente por sua fácil administração, ausência de toxicidade, fácil acesso para populações carentes e distantes das grandes cidades e rápida melhora (1,2). Segundo Olney (1) “A eficácia de cada conduta terapêutica vai depender muito da experiência clínica. Cabe ao clínico ter um vasto conhecimento das diferentes escolas médicas e sistemas terapêuticos para, com sabedoria, sem fanatismos ou radicalismos, buscar o “remédio” mais adequado ao paciente”. Conclusão:O uso de complexos homeopáticos veterinários se mostrou uma alternativa para o tratamento de diferentes afecções em animais de companhia.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1. Fontes OL. Farmácia Homeopática. 3º ed. Barueri, SP: Manoele; 2009.
2. Souza MFA. Homeopatia Veterinária. I Conferência Virtual Global sobre Produção Orgânica de Bovinos de Corte [periódico online] 2002; Via Internet. Universidade do Contestado - Concórdia e EMBRAPA Pantanal. Disponível em:http://www.cpap.embrapa.br/agencia/congressovirtual/pdf/portugues/02pt02.pdf [2015 set. 18].
3. Allen TF. The Encyclopedia of Pure Materia medica. [Internet]. Disponível em: http://www.homeoint.org/allen/d/dirc.htm. [2015 set. 18].
4. Boericke W. Matéria Médica Homeopática com Índice Terapêutico. 2º ed. Rio de Janeiro; 1993.
5. Vijnovsky B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. Buenos Aires: 1992.
6. Ullman D. Homeopatia, medicina para o século XXI. 2º ed. Cultrix; 1993.

Palavras-chave: clínica veterinária, homeopatia, fórmulas farmacêu