Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Uso da Homeopatia no tratamento do Tumor Venéreo Transmissível (TVT) em Cadela SRD – Relato de Caso.

AUTORES

Ana Catarina Viana Valle (Instituto François Lamasson)

Ana Catarina Viana Valle (Instituto François Lamasson)

Marcelo Sibata (Injectcenter)

Aloísio Carvavalho (Instituto François Lamasson)

Talita Nader (Instituto François Lamasson)


RESUMO INTRODUÇÃO

O tumor venéreo transmissível (TVT) é uma neoplasia caracterizada pela implantação mecânica de células tumorais no tecido saudável, através do coito (5). Os sinais clínicos são aumento de volume na região genital acompanhado de secreção sanguinolenta (1). O diagnóstico baseia-se no exame clínico, citológico e/ou histopatológico (5). O tratamento de eleição é realizado com sulfato de vincristina, porém diferentes terapias podem ser utilizadas, como radioterapia, excisão cirúrgica, imunoterápicos, auto-hemoterapia, entre outros (5). A homeopatia também é uma possibilidade terapêutica, que pode ser instituída como tratamento único ou associada aos quimioterápicos (4). De acordo com Manhoso et al. (1997), a associação do medicamento homeopático ao quimioterápico reduz o tempo de tratamento ao qual o animal é submetido, reduzindo a frequência de aplicações de vincristina (3). A Homeopatia foi criada pelo médico alemão Samuel Hahnemann, e está baseada na lei dos semelhantes, podendo ser indicada para o tratamento de diversas neoplasias, sendo o medicamento Thuya occidentalis, o mais citado entre as terapias, possuindo ação em inúmeras patologias (4). Neste contexto, o Viscum album vem ganhando ênfase nos tratamentos oncológicos devido a sua ação citotóxica, devido à presença de viscotoxinas e lectinas. O mecanismo de ação dessas substâncias, ainda não foi elucidado, mas sabe-se que as lectinas possuem ação sob a membrana celular, induzindo à apoptose e a viscotoxina, induz a morte celular rápida por necrose (3). Foi demonstrado que a associação de V. album e vincristina injetável, mostrou-se eficaz como terapia para o tratamento do TVT em cães, reduzindo o tempo de tratamento quimioterápico, bem como a leucopenia produzida pela administração da vincristina (2). Esse trabalho teve como objetivo relatar o uso de medicamentos homeopáticos V. album e T. occidentallis, no tratamento do TVT em uma cadela, SRD, durante 150 dias.


MATERIAL / MÉTODO

Dia 24/11/14 foi atendida a cadela Maytrea, SRD, pelagem preta, pesando 9,5Kg, de 2 anos de idade. O animal apresentava histórico de parto há 2 meses com sangramento vaginal persistente. Na primeira avaliação clínica, notou-se aumento de volume no canal vaginal de 4,9cm X 4,7cm de tamanho, com secreção vaginal sanguinolenta, sendo confirmado o diagnóstico de TVT através da citologia vaginal. Foi feito hemograma, o mesmo estando dentro do normal. Inicialmente, foi prescrito T. occidentallis 6CH, via oral, 3 vezes ao dia e T. occidentallis 9CH, aplicação tópica na lesão, 1 vez ao dia. Após 7 dias (Figura 1) iniciou-se a terapia com V. album injetável em potencias variadas, sendo uma aplicação diária, por via subcutânea. As aplicações do V. álbum seguiram uma sequência pré-determinada de diferentes potencias, conforme descrito: dia 1)3DH+12DH; dia 2)6DH+30DH; dia 3)3DH+9DH; dia 4)6DH+12DH; dia 5)9DH+30DH. Este esquema foi realizado initerruptamente por 30 dias. Ao final desta primeira etapa, foi observada uma redução da massa tumoral para 3cm X 2,3cm (Figura 2). A partir do segundo mês, as aplicações foram realizadas em dias alternados, seguindo a mesma sequência de administração, e ao fim de 30 dias de tratamento ocorreu uma diminuição de 2cm X 2cm de diâmetro do tumor. Ao completar 90 dias de tratamento a massa tumoral media 1cm X 0,9cm (Figura 3) (Figura 4) e após 150 dias o tamanho do tumor era de 0,5cm X 0,4cm, sendo que o animal não mais apresentava secreção vaginal sanguinolenta. Neste momento optou-se por realizar uma única aplicação de vincristina, na dose de 0,025mg/K, para remissão completa da massa tumoral e finalização do tratamento. Após uma semana realizou-se o exame clínico, no qual não foi observado presença de massa tumoral no canal vaginal da cadela e o exame citológico confirmou ausência de células tumorais na amostra coletada. Durante todo o tratamento o animal apresentou bom estado de saúde geral, e não houve manifestação de efeitos colaterais.


RESULTADO

O TVT é a neoplasia mais prevalente que acomete a genitália externa de cães. Está entre uma das causas de maior procura do atendimento veterinário, sendo que no Brasil, apresenta alta casuística devido ao clima tropical e a grande quantidade de cães errantes e sexualmente ativos. (5). Diversas terapias são propostas para o tratamento dessa enfermidade, como quimioterapia, radioterapia, imunoterapia, exérese cirúrgica, homeopatia, entre outros. A quimioterapia é a terapêutica de eleição para essa patologia, sendo administrado sulfato de vincristina como medicamento único em aplicações semanais. Entretanto, sabe-se que os efeitos colaterais causados pelos quimioterápicos, bem como o surgimento de pacientes com resistência à vincristina, vêm estimulando a procura por novas substâncias que sejam efetivas no tratamento dessa enfermidade (1). Segundo Carvalho (2010), trabalhos demonstram que o uso associado de vincristina com fármacos como a ivermectina ou a medicamentos fitoterápicos e homeopáticos, os quais promovam uma imunoestimulação, podem reduzir o número de aplicações do quimioterápico e seus efeitos colaterais (1). No presente estudo, os medicamentos homeopáticos V. álbum injetável (via subcutânea) e a T. occidentallis (via oral), em 150 dias de tratamento, foram capazes de reduzir em torno de 90% a massa tumoral, sem a manifestação de efeitos colaterais. Tais resultados concordam com os dados obtidos por Lefebvre et al. (2007), que utilizaram V. album injetável na redução do tamanho do tumor, sem provocar efeitos colaterais no paciente tratado (2). A prescrição do medicamento T. occidentallis ocorreu por similitude patogenética e diatésica (6), com o intuito de fazer uma maior abrangência do tratamento. Manhoso, et al. (1997) e Santos et al. (2006) também utilizaram T. occidentallis no tratamento de TVT e obtiveram bons resultados. Esta expressiva redução da massa tumoral, minimizou substancialmente a utilização do quimioterápico vincristina, sendo necessária apenas uma aplicação para a resolução completa da doença. Embora novos estudos sejam necessários para melhor compreensão da atuação dos medicamentos homeopáticos no tratamento do TVT canino, os medicamentos V. album e T. occidentalis demonstraram ser uma importante ferramenta terapêutica capaz de minimizar significativamente a manifestação tumoral da enfermidade, preservando a saúde geral do indivíduo e garantindo a qualidade de vida.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1. CARVALHO, C. M. Tumor Venéreo Transmissível Canino com Enfoque nos Diversos Tratamentos. Trabalho de Conclusão de Curso. Unesp/ Botucatu - SP, 2010.
2. LEFEBVRE, G. N. F.; BONAMIN, L. B.; OLIVEIRA, C. M. Tratamento do tumor venéreo transmissível (TVT) utilizando Viscum álbum em associação a quimioterapia. Revista Clínica Veterinária, n.70, p. 78-86, 2007.
3. LOPES, D. Utilização da Espectroscopia Raman Dispersiva na Verificação da Citotoxidade do Viscum album em Células Caco-2 in vitro. DISSERTAÇÃO DE MESTRADO. 2008. Universidade do Vale do Paraíba. São José dos Campos-SP.
4. MANHOSO, F.F.R.; PICHINI, E.; SANTOS, P.C.G.; SILVA, G.I.; LOMBARDI, E.; SANTOS FILHO, D.N. Homeopatia e Quimioterapia no tratamento do tumor venéreo transmissível e seus aspectos hematológicos. Pesquisa Homeopática. 12(2):50-64, jul.-dez. 1997
5. SANTOS, M.P., LADIR, E.C., MORAES, J.C., FERREIRA, F.A. Uso da Homeopatia no Tratamento de Tumor Venéreo Transmissível em Cadela SRD – Relato de Caso. Veterinária Notícias. V. 12, N. 2, SUPLEMENTO (2006). Acesso em: 28 de agosto de 2015. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18796.
6. VANNIER, L. & POIRIER, J. Tratado de Matéria Médica. 9a edição. Ed. Andrei. São Paulo-SP. 1987.

Palavras-chave: TVT, Cadela, Homeopatia