Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Estudo dos medicamentos utilizados em Doenças Crônicas

AUTORES

Nilson Roberti Benites (FMVZ USP)

Priscilla Anne Melville (FMVZ USP)

Christiane Elis (Autonomo)

Carla Cavalca (Autonomo)

Silvana Maria Viana de Araújo (autonomo)


RESUMO INTRODUÇÃO

Na Homeopatia, as doenças crônicas são doenças de caráter evolutivo, sem curso definido que necessitam de estímulos de medicamentos homeopáticos para que ocorra a evolução para a cura (1,2).
A maioria das moléstias crônicas se manifestam em órgãos denominados de “órgãos sensíveis”, estes órgãos são órgãos embriologicamente alterados ou retardados na sua evolução onde ocorre a resposta aos estímulos provocados no organismo (3).
Desta forma os órgãos sensíveis são produzidos dentro do organismo durante a formação do indivíduo e qualquer alteração que ocorra em uma célula embrionária pode ser transmitida para os diversos órgãos que se originaram desta célula (3).
O ecto e o endoderma embrionário são responsáveis pela formação da parte funcional da pele, sistema digestório, sistema respiratório e sistema nervoso, enquanto que o mesoderma forma a parte funcional do sistema endócrino, ossos, músculos e linfonodos, sistema urogenital e cardo vascular (3).
O presente estudo visa verificar a frequência dos medicamentos homeopáticos prescritos em animais que apresentam doenças crônicas sensibilidade através de manifestações clínicas em órgãos oriundos do endo e ectoderma, mesoderma e nos três folhetos embrionários.


MATERIAL / MÉTODO

Num período de cinco anos foram realizadas 742 consultas, incluindo primeira consulta e retornos para acompanhamento de 288 animais no Ambulatório de Homeopatia do HOVET-USP. Destes 245 eram caninos (144 fêmeas e 101 machos) e 43 felinos (26 fêmeas e 17 machos).
Deste total, 206 (71,73%) animais apresentavam doenças em órgãos com origem no endo e ectoderma, 21 (7,29%) apresentavam doenças em órgãos com origem em mesoderma e 61 (21,18%) apresentavam doenças em órgãos oriundos dos três folhetos embrionários simultaneamente.
De acordo com a frequência de prescrição dos medicamentos homeopáticos, estes foram divididos em quatro grupos.


RESULTADO

As doenças em órgãos com origem no endo e ectoderma (71,73%) foram mais frequentes (P=0,0001) do que as outras. Os animais apresentaram apresentavam, doenças em órgãos com origem em mesoderma (7,29%) apresentavam foram menos frequentes (P=0,0001) do que as doenças em órgãos oriundos dos tres folhetos embrionários simultaneamente (21,18%) para P=0,0001.
Os resultados estão descritos nas Tabelas 1 e 2.
Na Tabela 1 os 58 medicamentos utilizados e suas frequências estão expostos em ordem decrescente de frequencia. De acordo com a classificação de Hahnemann / Kent (1,4)os medicamentos também foram identificados como anti-psóricos (A) e não anti-psóricos (N). Foram prescritos medicamentos anti-psóricos em 607 consultas (81,8% do total) e em 135 consultas foram prescritos medicamentos não anti-psóricos (18,2% do total), dado este que confirma que foram administrados uma frequência de medicamentos anti-psóricos maior do que os não anti-psóricos (P=0,0001).
Na Tabela 2 houve diferença estatisticamente significante (P=0,0001) para as porcentagens de consultas entre todos os grupos, No grupo 1 houve maior frequência de anti-psórico do que nos outros grupos. No grupo 2 houve maior frequência de anti-psórico do que nos Grupos 3 e 4.
Hahnemann afirmava que nas doenças crônicas denominadas Psóra, havia necessidade de se tratar com medicamentos anti-psóricos, porém em circunstancias tais como idade, ou muito jovem ou muito idoso, condições débeis do organismo ou sequencia de medicamento anti-psóricos muito longa seria apropriado a utilização de medicamento não anti-psórico (1,2).
Nas doenças crônicas os medicamentos: Arsenicum album, Calcarea carbonica, Lycopodium clavatum, Phosphorus e Belladonna foram responsáveis por quase metade (49,19%) das prescrições homeopáticas das doenças crônicas no período de estudo.
Apesar de 81,8% dos medicamentos terem sido anti-psóricos, esta proporção vai diminuindo à medida que a frequência dos medicamentos também vai diminuindo e estabiliza quando a frequência for menor do que 1,00% e nesta situação ocorre predominância de medicamentos não anti-psóricos.
As doenças crônicas cujos órgãos sensíveis tem origem no ecto e o endoderma embrionário, ou seja afecções da pele, sistema digestório, sistema respiratório e sistema nervoso, foram as mais tratadas no período de estudo.
As doenças crônicas nos quais os órgãos sensíveis tem origem no mesoderma embrionário, ou seja afecções do sistema endócrino, ossos, músculos e linfonodos, sistema urogenital e cardo vascular foram as menos observadas no período de estudo.

ANEXOS


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1.HAHNEMANN, S. Doenças Crônicas. São Paulo, 5ª. Edição brasileira, tradução da 2ª.edição alemã, 1835, Servideias Comunicação Ltda, 1999.
2.HAHNEMANN, S. Exposição da doutrina homeopática ou Organon da arte de curar. São Paulo, 2ª. Edição brasileira, tradução da 6ª.edição alemã, 1835, Grupo de Estudos Homeopáticos Benoit Mure, 1995.
3.MAFFEI, W. E. Os fundamentos da medicina. Livraria editora Artes Médicas Ltda. São Paulo. 1978
4.KENT, J. T. Lectures on homoeopathic philosophy. http://www.homeoint.org/books3/kentlect/index.htm. Acessado em 20/09/2015.

Palavras-chave: doenças crônicas, medicamentos, anti-psóricos