Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Estudo e descrição de caso de Argentum metalicum

AUTORES

Nilson Roberti Benites (FMVZ USP)

Priscilla Anne Melville (FMVZ USP)

Christiane Elis (Autonomo)

Carla Cavalca (Autonomo)

Silvana Maria Viana de Araújo (autonomo)

ANNA CATHARINA MAIA DEL GUERCIO VON SYDOW (Autonomo)


RESUMO INTRODUÇÃO

Há medicamentos que são utilizados com menor frequência e nem por isso deve-se desconhece-lo, pois podem ser utilizados com bons resultados.
O Argentum metalicum é um medicamento associado à ansiedade com inquietação, deprimido, taciturno, medroso, mal humor, dores nos linfonodos submaxilares e parótida, atua em cartilagens e articulações, dores e fraqueza nas articulações especialmente nos membros inferiores ao descer, artrites, emagrecimento, dores nos ossos principalmente nos ossos longos e na face. Atua no sistema nervoso, membranas mucosas, laringe, geniturinário, ovário, principalmente esquerdo e testículo principalmente direito (1,2,3).
O objetivo do presente estudo foi de descrever um caso de Argentum metalicum diagnosticado no serviço de Hovet, FMVZ USP.


MATERIAL / MÉTODO

Animal da espécie canina, sexo feminino, SRD, nascida em janeiro de 2008, foi atendida com queixa de atrofia muscular generalizada e artrose radiografada nas articulações coxo femurais, pior direita.
Após a utilização de Calcarea carbonica e Phosphorus, sem bons resultados, o animal foi reexaminado e apresentava atrofia da musculatura dos membros posteriores bem pronuncia com dor moderada aparente, sem apoiar o membro posterior direito quando em estação.
Foi realizado uma nova repertorização com estudo de matéria médica. A repertorização com as rubricas atrofia de membros inferiores (cap. Extremities) e exostoses (cap. Generalities), no repertório de Kent (4), apontou como alternativa Argentum metallicum, que foi prescrito na potência 12CH para uso uma vez ao dia, diariamente.


RESULTADO

O retorno 60 dias após pode-se observar redução da dor e da atrofia da musculatura da cabeça e pescoço, bom estado de ânimo. Diante do resultado manteve-se o Argentum metalicum com alteração na potência para 24CH. Após 90dias verificou-se me por acidente de percurso, o proprietário usou somente duas semanas da última prescrição, com melhora progressiva do quadro que permaneceu com Argentum metallicum na dinamização CH30.
As matérias médicas descrevem em Argentum metallicum grande atuação em cartilagens e articulações, dores e fraqueza nas articulações especialmente nos membros inferiores ao descer, artrites, emagrecimento, dores nos ossos principalmente nos ossos longos. Muito importante que descreva a atuação no sistema nervoso, pois muitos processos de paresia estão associados à medula espinal (1,2,3).
O animal em questão apresentava diminuição do espaço intervertebral lombar o que demonstra não só o processo ósseo, mas também na medula espinal, sinais estes descritos na matéria médica do medicamento (5).
Apesar dos sintomas mentais serem muito vagos, os sinais locais apresentavam grande semelhança e a escolha demonstrou excelente resultado.
O conhecimento da ação geral do medicamento pode ser tão ou mais importante que a sintomatologia mental, principalmente nos medicamentos com a sintomatologia mental muito vaga.


    REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

    1.BOGER, C M. A synoptic key of the materia medica. http://www.homeoint.org/books2/bogersyn/index.htm. Acessado em 20/09/2015.
    2.BOGER, C. M. Bœnninghausen's characteristics materia medica & repertory. http://www.homeoint.org/books2/boenchar/index.htm. Acessado em 20/09/2015.
    3.HERING, C. Condensed materia medica. http://www.homeoint.org/books1/heringcondensed/index.htm. Acessado em 20/09/2015. 4.KENT, J. T. Repertory of homeopathic materia medica. http://www.homeoint.org/hidb/kent/repertory.htm. Acessado em 20/09/2015.
    5.MAFFEI, W. E. Os fundamentos da medicina. Livraria editora Artes Médicas Ltda. São Paulo. 1978

    Palavras-chave: Argentum metalicum, artrose, articulação coxofemur