Anais de Trabalhos Científicos 7º CBHV

Avaliação do nível de conhecimento e interesse em homeopatia entre estudantes de Medicina Veterinária da Universidade de Uberaba

AUTORES

Cláudio Yudi Kanayama (Universidade de Uberaba, Instituto de Estudos Avançados em Veterinária “José Caetano Borges”, (UNIUBE/FUNDRAGRI-FAZU/ABC)

Natacia Gaia Figueiredo (Universidade de Uberaba, Instituto de Estudos Avançados em Veterinária “José Caetano Borges”, (UNIUBE/FUNDRAGRI-FAZU/ABC)

Marcus Vinicius Fonseca Faria (Universidade de Uberaba, Instituto de Estudos Avançados em Veterinária “José Caetano Borges”, (UNIUBE/FUNDRAGRI-FAZU/ABC)


RESUMO INTRODUÇÃO

A homeopatia veterinária começou a ser difundida no Brasil com os cursos de especialização lato sensu para médicos veterinários a partir da década de 80. Isto possibilitou a presença constante da homeopatia nos tratamentos veterinários, com uma característica importante de convivência pacífica com outras modalidades terapêuticas, o que contribuiu para o reconhecimento da homeopatia como especialidade Médica Veterinária pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária em 1996 (1,2).
Apesar de a homeopatia ser reconhecida como uma especialidade, com aplicação clínica com mais de 200 anos, tendo os seus princípios científicos colocados em prova em diversos ensaios clínicos, projetos de pesquisa nas áreas básica e clínica, a inclusão em serviços públicos de saúde humana e iniciativas de ensino na graduação médica e médica veterinária, existe ainda desinformação sobre aspectos fundamentais, que gera conceitos distorcidos e errôneos dentro na cultura médica brasileira (3,4,6).
Em busca de mensurar as informações dos estudantes de medicina veterinária sobre o conhecimento e aceitação da homeopatia, este trabalho tem como objetivo, avaliar os alunos do curso de Medicina Veterinária, da Universidade de Uberaba – UNIUBE, sobre esta terapêutica bicentenária.


MATERIAL / MÉTODO

Este trabalho realizou pesquisa descritiva de caráter exploratória entre 347 discentes de graduação de ambos os sexos, com idade média de 22 anos, da Universidade de Uberaba – Uniube, realizada em agosto de 2015. As informações foram coletadas por meio de questionário composto de quatro perguntas, abordando sobre o grau de conhecimento sobre homeopatia e sobre o estudo desta especialidade no curso de Medicina Veterinária (1).


RESULTADO

Os resultados apresentados para primeira questão, “O que você entende por Homeopatia?”:
- 38% dos alunos entrevistados, definiram homeopatia como um tratamento feito a partir de medicamentos naturais.
- 20% não souberam definir homeopatia.
-19% definiram homeopatia como um tipo de tratamento.
-18% definiram homeopatia como uma medicina alternativa.
-5% definiram homeopatia como um tratamento fitoterápico.
Os resultados apresentados para a segunda pergunta, “Você já se submeteu a algum tratamento homeopático ? Obteve sucesso?.”:
-69% dos alunos entrevistados, alegaram não terem se submetido a tratamentos homeopáticos.
-31% já foram submetidos ao tratamento homeopático, dos quais 3% não obtiveram resultados satisfatórios.
Em relação às respostas da terceira questão, “Possui algum animal de estimação que foi tratado por Homeopatia? Obteve sucesso?”:
-85% dos alunos entrevistados, nunca utilizaram tratamento homeopático em seus animais de companhia.
-15% já utilizaram algum tratamento homeopático em seus animais de estimação, sendo que todos os animais tratados obtiveram cura satisfatória.
No tocante a quarta questão, “Você acredita ser importante o ensino da Homeopatia dentro do curso de Medicina Veterinária? Justifique”:
-90% dos alunos entrevistados, veem importância no ensino da homeopatia veterinária pela universidade, e que gostariam que tivesse a inclusão da homeopatia na grade curricular.
-10% acreditam não ser importante o ensino da homeopatia veterinária durante a graduação.
Observa-se um nível insuficiente de grau de conhecimento sobre homeopatia dos estudantes, com resultados semelhantes aos de trabalhos realizados em outras instituições de ensino superior em Medicina e Medicina Veterinária (1,3,4,6).
A comparação com “tratamento feito a partir de medicamentos naturais” e “medicina alternativa”, induz a falsa impressão de que a homeopatia não faz mal em quaisquer situações. Deve-se ressaltar que a utilização precipitada de medicamentos homeopáticos, potências e doses sem estudo prévio do paciente e do medicamento, podem causar agravações, patogenesias e supressões, contrapondo a impossibilidade de efeitos indesejáveis desta terapêutica (5).
Mesmo desconhecendo os princípios básicos da homeopatia, os discentes e seus animais de companhia já foram tratados pela homeopatia, mesmo sendo utilizado por um número reduzido de alunos. Por não ter embasamento científico, muitos estudantes temem a utilização ou não confiam, acreditando, às vezes, que a alopatia é mais eficiente.
O posicionamento favorável dos estudantes à inclusão da homeopatia no projeto pedagógico do curso encontra correspondência em trabalhos realizados em outras escolas de medicina e medicina veterinária (3,4,6).
Conclui-se que a falta de informação dos preceitos básicos da homeopatia é muito clara entre os alunos, e que necessitam de informações sobre os princípios da homeopatia. E há grande interesse dos estudantes incluir a homeopatia no currículo universitário.


    REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

    1-Manhoso, FFR. Aspectos da Homeopatia Veterinária na Universidade de Marília – SP, Pesquisa Homeopática. 1998 Jan-Jun;11(1):22-8.
    2-Pinto LF. Rumos da Homeopatia Veterinária no Brasil. Homeopatia Brasileira. 1998; 4(1):505-6.
    3-Silva FA, Silva SC, Silveira NB, Antonucci JP, Moreira M, Franco AJ. Avaliação do nível de conhecimento e interesse em homeopatia entre os estudantes dos primeiros períodos da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde. Anais III SIMPAC UNI. 2011 Jan-Dez;3(1):127-132.
    4-Souza Ml, Suzuke S, Oliveira CH, Caparica CD , Amara LT, Kvinge T, Rosa AP F. Avaliação do nível de conhecimento e interesse em homeopatia entre estudantes da faculdade de ciências médicas da universidade estadual de campinas-SP. Homeopatia Brasileira. 2001;7(2):14-20.
    5-Teixeira MZ. Agravação e prognóstico em homeopatia. Revista Homeopatia. 1997;62:27-68.
    6-Teixeira MZ. Homeopatia: desinformação e preconceito no ensino médico. Revista Brasileira de Educação Médica. 2007;31(1):15-20.

    Palavras-chave: educação, currículo, acadêmico